Sobre O meu amor, de Chico Buarque

Pouca gente percebe, mas esta música do popular cantor, compositor e galanteador Chico Buarque relata uma noite de amor de uma moça com um maconheiro (drogadito). Pra juventude que não conhece, segue um vídeo.

Não vou reproduzir a letra inteira aqui, você pode ver o vídeo pra reparar. Mas ela descreve, em cada frase, o que uma moça sofre por namorar um cara desse tipo. Tanto na descrição das ações do casal, quanto na escolha de algumas palavras-chave, Chico nos presenteou um com belíssimo flagrante.

A primeira estrofe descreve do jeitão calmo, pacato e tranquilo do rapaz e a intensidade com que ele beija a guria, até o fundo da alma.

Depois o sujeito rouba-lhe os sentidos e fala besteiras nonsense ao ouvido dela (que no calor do momento define como “segredos lindos e indecentes”) antes de, sem motivo aparente, “rir do umbigo” e crava-la os dentes.

O refrão, com a clássica citação “meu corpo é testemunha do bem que ele me faz”, é um tapa na cara: nosso amigo tá mandando bem.

Na próxima estrofe temos uma descrição física do mano: barba malfeita, que quase machuca a nuca da mina. Também podemos comprovar que o cara está dormindo (ou quase) durante a música toda, com as coxas repousadas entre as coxas da moça, que provavelmente está fumando um cigarro pós-coito e pensando nessas palavras bonitas.

Na parte final, o amigo se embanana com as palavras enquanto beija os seios e, em forma de metáfora (ou não), a menina entrega outra característica do nosso amigo da barba por fazer: “desfruta do meu corpo como se o meu corpo fosse a sua casa”.

Repare em algumas palavras-chave (“louca”, “maluca”, “brasa”); perceba as metáforas pra larica (“me crava os dentes”). Tudo isso é muito bonito (mesmo). Mas este camarada fumou uma bomba, um cigarro que passarinho não fuma.

Anúncios

19 comentários sobre “Sobre O meu amor, de Chico Buarque

  1. Bem, acho que nesse ponto vc errou. Na verddae a música retrata a dispulta de um homem por duas mulheres. As estrofes são cantadas alternadamente pelas duas mulheres. Música escrita originalmente pra peça “Operá do malandro”, do ano de 1973.

    Vai aqui um link com o trecho da peça na qual essa música é cantada.

    De qualquer forma, adorei essa nova ibterpretação da música
    Parabéns!

    1. “Gildson Souza” deve ser o alias do Bruno Medina para poder falar DAQUELES OLHOS AZUIS e não ser apavorado enquanto os broders dele não ficam a fim de trabalhar e perservar (para tal, Leão?).

      É nóis que voa.

  2. Sinceramente, nada a ver… Sou mulher e muito bem casada com um homem de bem. Ele não é maconheiro e nem malandro mas me sinto exatamente como a mulher da música. Sou desejada, amada…detesto me sentir uma garotinha de comédia romântica. Chico Buarque descreveu o que toda mulher gostaria de sentir e de ser e nada mais. Ele entende a alma da mulher como se fosse uma. Vocês…eu heim, vão amar uma mulher…

  3. Maria, concordo com seu comentário. Não nego. Sou uma romântica inveterada e não tem jeito de ser diferente.
    É assim que tem de ser a dois. Sublime, intenso e único. Mesmo que não seja pra sempre.

  4. Vocês contratam essas pessoas pra comentar aqui? Num pode, às vezes o comentário fica mais engraçado que o texto.

    Quer dizer. Acaba rolando uma DISPULTA (via Gildson) entre o excelente post e o comentário da Maria Bem-Amada.

  5. Realmente sua interpretação é perfeita! Por um segundo cheguei a pensar que você seria um fake do próprio Chico.
    E “Trocando em Miúdos”, não seria sobre as vísceras de uma galinha? Miúdos, frango…pegou o gancho? 😉

  6. Só viagem, não tem nada que ver com maconha, O vício é o sexo. O cara faz do jeito que a mulher gosta. Segundo as mulheres, é coisa rara um homem bom de cama, aí qdo encontra, gruda feito tatuagem (outra música do Chico).
    .

  7. kkkkkkkkkkkkkk meu amigo, vcs são ilários kkkkkkkkkkkk eita q o drogado tá se achando kkkkkkkkkkkkkk como se esses noiados soubessem amar uma mulher!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  8. Chico tem isso de genial…. consegue atingir todas as interpretações possíveis (e sensibiliza até as mentes mais tacanhas). D’accord?

  9. Fala Felipe, encontrei seu blog por acaso, estava procurando as legendas para o The Office UK (achei fantastico o The Office USA e fiquei sabendo que o original é melhor ainda) e como sou fã do Chico resolvi ler sobre o que voce escreveu da música O meu amor, curti bastante, nunca tinha imaginado desse jeito, hahahahahaha, é uma nova perspectiva.

    Gosto de fumar maconha, mas não sou noiado como a Vivian acima descreve os maconheiros e amo muito a minha mulher e ela me disse que se sente amada como na música, alias, sou engenheiro muito bem sucedido.

    Mais tarde quero acabar de ver seu blog

    grande abraço e muito obrigado pelas legendas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s