Categorias
Cinema Música

Kleber Mendonça Filho’s Old Gems

O objetivo dessa minha listinha não era catalogar todas as músicas de todos os filmes do diretor pernambucano, mas separar as pepitas em uma ordem mais ou menos concisa. O resultado final acaba servindo como uma mini-introdução à música brasileira e uma pequena amostra da qualidade dos nossos artistas.

A lista de músicas e as cenas correspondentes (as que eu consigo lembrar!): Não Identificado é música que abre Bacurau. Hoje toca nos créditos iniciais de Aquarius. Durante o funeral de Dona Carmelita a população de Bacurau cantou Bichos da noite de “O Coronel de Macambira”. Charles, Anjo 45 toca quando a personagem de Maeve Jinkings recebe uma massagem dos filhos em O Som ao Redor. Em Aquarius, Clara toca Um jeito estúpido de te amar no carro e sugere a Tomás que ele mostre Maria Bethânia pra nova namorada, pra mostrar que ele é intenso. Dois Navegantes toca quando Clara está sendo entrevistada em casa. Pai e Mãe é a música que Julia escolhe pra tocar em uma cena onde ela e Clara demonstram uma conexão muito bonita. Clara ouve O quintal do vizinho uma noite em casa e bota O ar (O vento) pro neto Pedro dançar. Toda menina baiana toca durante uma festa na casa da Clara jovem. Quando Pacote vai procurar Lunga em Bacurau, Entre as Hortencias está tocando no esconderijo. Quando Clara vai a uma festa na casa da empregada Ladijane, a turma está curtindo Sufoco. Réquiem para Matraga é a música dos créditos em Bacurau. Eu sou Lia Minha Ciranda Preta Cirandeira toca na cena final do curta Recife Frio.

(O título & ideia original deste projeto são uma homenagem a uma das minhas playlists favoritas no Spotify: Wes Anderson’s Old Gems.)

Categorias
Música

Radio Gerry

Gerry mora sozinho. Somos vizinhos de porta: ele no 4, nós no 1. Com extrema regularidade ele pode ser ouvido cantarolando ou assoviando a algumas músicas que ele gosta de ouvir no rádio. Às vezes, se a música é muito excelente, ele corre para aumentar o volume. Normalmente, mas nem sempre, ele se limita a pequenos trechos, refrões, solos e riffs. Quando ele erra a letra eu lembro das vezes que eu errei a letra—como isso é sempre engraçado e levemente constrangedor. Nossas janelas são extremamente próximas.

Pois recentemente eu decidi compilar uma lista com algumas das pérolas que já rolaram por ali. A seleção é carinhosamente chamada Radio Gerry. Aperte o play e baseado na lista de faixas, tente imaginar o perfil. Peço apenas que aprecie e tente abster-se de qualquer julgamento.

A playlist Radio Gerry no Spotify

Update: Agosto 2021

Gerry não mora mais aqui. Antes dele ir eu mostrei a lista pra ele e primeiro precisei explicar o que era Spotify. Conversamos um pouco sobre algumas das músicas da lista e ele contou da época em que participava de pub quizes e acertava tudo.

E com isso, o projeto Radio Gerry está oficialmente encerrado. Obrigado a todos que participaram.

Categorias
Música

Sky Blue Sky é o disco que nós precisamos

Sky Blue Sky, o sexto disco do Wilco, começa com uma divagação quase ingênua: talvez hoje o sol vai brilhar e as nuvens vão dispersar, talvez eu não vou sentir tanto medo. De qualquer modo, eu vou tentar compreender e termina com a garantia Eu e você vamos permanecer juntos, eu e você vamos tentar melhorar.

Sky Blue Sky no Spotify

Simples e direto, o álbum é repleto de mensagens positivas, promessas de resiliência e incertezas sinceras. São canções que tentam imaginar um futuro tranquilo, ao mesmo tempo em que reconhecem um passado imperfeito no meio de um presente incerto. (As 12 faixas foram escritas no período em que Jeff Tweedy, o vocalista / compositor / fundador, se recuperava de um traumático vício em analgésicos.) Lançado em 2007 é o sexto álbum de estúdio do Wilco, e o primeiro como um sexteto na formação atual.

O narrador de You are my face canta sobre como a casualidade já o fez mudar de planos tantas vezes e sobre como agora todo mundo se sente tão sozinho. E sobre tentar ser grato, e histórias que cabem em telefones.

As dificuldades de comunicação tão comuns na época de tecnologias sobrecarregadas são expostas em Impossible Germany (famosa justamente pelos solos de guitarra!): O problema fundamental que a gente precisa encarar… isso é importante! Mas eu sei que você não está ouvindo. E o narrador de Please be patient with me alerta: Quando eu não estou bem, eu não consigo dizer. Não tem nada que eu posso fazer pra deixar mais fácil pra você.

Lembranças melancólica de paisagens externas e de tempos passados também estão espalhadas pelo disco todo. São as bandas marchando em formação, as janelas abertas deixando a chuva entrar, os bêbados ricocheteando nos prédios velhos abandonados em Sky Blue Sky. Ou a chuva que aplaude os parques escuros e os balanços que morrem lentamente em Side with the seeds.

(Side with the seeds que aliás traz talvez a mensagem mais assumidamente política do disco: Você e eu vamos continuar invictos se concordarmos em discordar. Ninguém ganha apenas os ladrões então pra que escolher um lado? )

O cenário claustrofóbico de Shake it off é familiar. Os ângulos da luz do sol no chão de madeira ao amanhecer. O ventilador de teto ligado triturando meus sonhos. Os que sobram eu levo pra dormir de novo, onde eu ouso fingir ser mais do que aparento.

A conclusão do narrador de Hate it here, depois de checar o telefone e o correio múltiplas vezes, é a de que manter as coisas organizadas não vai mudar nada. Ele implora: o que fazer depois que acabarem as camisas a serem dobradas? O que fazer quando acabar a grama a ser cortada? O personagem em Leave me (like you found me) agradece pelo espaço pra quando estiver se sentindo pra baixo. Extremamente relacionável.

Walken, onde o narrador relembra o amor distante durante uma caminhada solitária, virou meme nas redes sociais da banda. A mensagem de What Light é extremamente positiva e animadora: se você tem vontade de cantar é quer que outras pessoas cantem junto, cante o que você está sentindo, não deixe ninguém dizer que é errado.

Com um céu azul esse tempo carcomido não ia parecer tão mal. Oh, eu não morri, eu devia estar satisfeito. Eu sobrevivi e isso é bom o bastante por enquanto. Não existem respostas fáceis para as perguntas difíceis que vão surgir das reflexões que o disco propõe. Mas a gente precisa continuar tentando, né.

Eu amo esse disco!

Categorias
Geral

Joan Didion

I’m not telling you to make the world better, because I don’t think that progress is necessarily part of the package. I’m just telling you to live in it. Not just to endure it, not just to suffer it, not just to pass through it, but to live in it. To look at it. To try to get the picture. To live recklessly. To take chances. To make your own work and take pride in it. To seize the moment. And if you ask me why you should bother to do that, I could tell you that the grave’s a fine and private place, but none I think do there embrace. Nor do they sing there, or write, or argue, or see the tidal bore on the Amazon, or touch their children. And that’s what there is to do and get it while you can and good luck at it.

Joan Didion em um discurso de formatura na University of California, em 1975 (Daqui)
Categorias
Música

Lizzo – Juice

O que acontece quando eu ouço uma música que eu gosto:

Eu salvo o disco no Spotify.

Eu leio sobre a letra no Genius.

Aí eu vejo o clipe no YouTube:

E uma versão ao vivo:

E outra apresentação:

E curioso sobre o processo criativo eu acho isso:

E mais sobre a artista:

É um círculo de obsessão e falta de controle e letargia diante do poder dos algoritmos. Sei lá. Mas é boa essa música.

Categorias
Música

Dear Theodosia

Ben Folds One e Regina Spektor conseguiram captar muito bem a energia positiva, misteriosa e cheia de esperança da minha canção favorita do musical Hamilton.

Categorias
Geral

Lei Paul Walker

A imagem de uma faixa pintada à mão, possivelmente pela mesma pessoa que faz os cartazes de promoção no supermercado do bairro.

E na faixa lê-se:

ASSINE O ABAIXO ASSINADO E CONTRIBUA COM
A LEI PAUL WALKER
LEI NA QUAL ESTAMOS LUTANDO PELA LEGALIZAÇÃO DO NOSSO ESTILO DE VIDA

Vão tentar me explicar que isso é uma brincadeira, um “viral”. Ou vão me dizer que isso é real e que o grupo responsável é envolvido com alguma maracutaia. Sinceramente não me importa. O que importa é que quando eu me vejo preocupado, ansioso, quando preciso de um momento de mindfulness, eu fecho o olhos, respiro fundo e essa é uma das imagens que me vem à cabeça. E tudo volta ao normal. Céu azul.

Quando eu descobrir a verdade, essa imagem vai desaparecer num arquivo triste e cada vez maior de milkshake ducks e decepções. Não.

Lei Paul Walker 😂. Eu tento imaginar o processo pra tentar mover a “Lei Paul Walker” pelas máquinas do sistema político. O fato de um grupo de pessoas ter decidido homenagear o falecido ator famoso por interpretar um dos personagens principais nos filmes da franquia Velozes e Furiosos é tocante e inspirador.

Eles adoram carros mais baixos que o normal, consideram isso um estilo de vida. Sentem que não estão sendo tratados com o respeito devido. Querem sair das sombras. Eles têm o direito de lutar. Todos temos.